Reaproveitando a água da chuva

Eu sabia que isso era possível, mas tinha minhas dúvidas de como era ao certo esse processo. 

 A água da chuva é coletada, filtrada e levada a um reservatório inferior, em geral enterrado. Aí, uma bomba leva a água para uma segunda caixa d'água. A partir dela é feita a distribuição para os pontos desejados: torneira de jardim, sanitários e máquina de lavar, por exemplo, são os mais comuns (clique na imagem para ver maior).

Hoje em dia, na grande maioria dos edifícios (de uma residência a uma indústria), a água vai diretamente para o sistema de coleta de esgoto e águas pluviais. Entretanto, boa parte dela pode ser facilmente reutilizada, visto que o grau de impurezas é muito baixo após a primeira utilização.

Ao pensarmos em reuso de água para residências, podemos primeiramente tratar das águas pluviais, ou seja, a água da chuva. Captar a água que cai nos telhados e lajes de nossas casas para uma futura utilização não só é uma prática econômica e ecológica, como também diminui a quantidade de água que vai para o sistema público de coleta, ou seja, ajuda a diminuir as terríveis enchentes das épocas de chuva forte.

Os sistemas mais simples de reuso de água tratam apenas das águas pluviais, que após caírem nos telhados são direcionadas às calhas e, ao invés de serem descartadas, são filtradas e levadas a um reservatório inferior, normalmente enterrado. Uma bomba simples transfere a água deste reservatório inferior para outro elevado (uma segunda caixa d’água) e a partir daí a água é direcionada para os pontos que desejamos.

 Os sistemas mais simples direcionam esta água de reuso apenas para a irrigação de jardim. Em locais com grandes áreas ajardinadas, só isso já é suficiente, uma vez que toda a água da chuva será reaproveitada e bem utilizada. Em locais com poucas áreas ajardinadas ou mesmo sem nenhuma área verde, podemos utilizar o mesmo conceito de reuso, mas com uma complexidade um pouco maior – a água da chuva, após estar filtrada e no reservatório superior, é levada aos jardins e também para os vasos sanitários, tanques e máquinas de lavar roupas. Essa água, embora imprópria para ser bebida, é bastante limpa para essas finalidades.


Fonte: Uol Arquitetura 
Por: Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz | arquitetos formados pela FAU-USP e sócios do escritório Forte Gimenes Marcondes Ferraz (www.fgmf.com.br).

5 Deixe aqui sua opinião!:

Teté disse...

Que show!!

YuRii disse...

achei ótimo!! gostei mesmo! daria um projeto bem legal de se apresentar em escolas! E imagina um projeto final de curso técnico sobre isso! seria legal né?

_SaH_ disse...

Olá!!
Gostaria de uma parceriaa!
visite meu blog e veja se podemos nos unir!^^
http://euamoanatureza.wordpress.com

c i n t i a disse...

Demais, não e gente??
E nem é tão difícil, mas falta a boa vontade das construtoras ainda...

Bjs
Cintia

Anônimo disse...

Que interessante, bem que as casas já poderiam vir prontas com esse sistema!

Abçs
Adriano