A mesma cena se repete...


Postei esse texto em março/2010 e é impressionante como ainda é atualíssimo. Toda semana vejo a cena se repetir nos mesmos locais.
As pessoas precisam mudar, e logo. Se eu preciso ser a mudança que quero ver no mundo, a minha já começou faz tempo. Mas cade a de vcs?
- - - - - - - - 

Hoje pela manhã eu estava indo trabalhar e, ao passar por um bairro recente que começou como uma posse, me deparei com uma cena que para muitos pode ser até normal. Uma mulher por volta de seus 30 e poucos anos empurrava um carrinho de mão tranquilamente em direção a uma encosta que margeia a pista por onde eu passava. E ela simplesmente, com a maior naturalidade, despejou todo o conteúdo do carrinho na encosta. O que tinha no carrinho? Lixo. Garrafas pet? Umas dez. Sacolas plásticas vazias, cheias, pedaços de papel e restos de um monte de coisas. Ela despejou todo aquele lixo e foi embora. Eu fiquei pensando como ela pode ter tanta calma e segurança em despejar todo aquele lixo no mato e ao ar livre. Na mesa hora comentei com minha mãe "Depois as pessoas reclamam que tem enchente, que a Prefeitura não cuida do escoamento e por aí vai..."

Até quando as pessoas vão perceber que nós somos resultado dos nossos atos? Até quando as pessoas vão ficar se entretendo com Big Brother ao invés de entender (ou tentar entender ou ao menos se interessar) o porque desse "caos no clima" que está sendo causado por nós mesmos?

Sinceramente, gente, às vezes me sinto impotente e cansada. EU não jogo lixo no chão, reciclo tudo o que posso, evito tudo o que pode prejudicar ainda mais nosso planeta, já castigado, e sempre me deparo com essas pessoas que não estão nem aí! Vejo sempre lixo pelo chão no ponto de ônibus, vejo meus vizinhos juntarem lixo para queimar todo fim de semana (e aquela fumaça horrível entra dentro de casa dá vontade de xingar muito!).

Minha cidade está um verdadeiro caos no trânsito, carros em excesso, motos em excesso. Poluição em excesso. Ninguém se dá ao luxo de deixar o carro em casa pelo menos uma vez por semana. E olha que Volta Redonda nem é tão grande, com 182,8 km² e cerca de 232 mil habitantes não era pra ser essa bagunça. As vias são conservadas e bem orientadas, mas hoje em dia posso afirmar que está impossível trafegar com tranquilidade e chegar na hora ao destino. Não se encontra mais nem vaga para estacionar.

Essas coisas vão cansando a gente... Dá vontade de deixar pra lá e nem falar mais nada. Mas ao mesmo tempo sinto que uma sementinha é o início de tudo. E cada um de nós é a sementinha e uma vai contaminando a outra. Esse é o lado bom da história e me faz ir e frente na conscientização ambiental.


Cíntia Sibucs
Em 03 de março de 2012

2 Deixe aqui sua opinião!:

MagHaasper disse...

Oi Cíntia, fico feliz e posso lhe dizer que vi neste texto minhas palavras e pensamentos reproduzidas por você. Não estamos sós, somos semeadoras de idéias e como não sabemos se o solo é fértil, saimos jogando as sementes ao vento com a esperança de vê-las germinar e se reproduzirem. Como é o vento que as leva jamais veremos se germinaram ou não, o importante é semear e certamente em algum canteiro elas germinarão. Visite meu blog www.maghaasper.blogspot.com e vamos partilhando estas mensagens. Quanto mais de nós existirem, a chance de multiplicação aumenta. Um grande abraço. MagHaasper

cintia sibucs disse...

É verdade Mag... Acho que muitos de nós sentem-se assim muitas vezes. Mas não podemos desistir.

Abçs
Cintia