Eu ODEIO Rodeio

E daí?

Em apenas oito segundos um furacão pode varrer do mapa cidades inteiras. A detonação de uma bomba atômica pode destruir grande parte da humanidade. Tsunamis destroem cidades inteiras, não deixando vestígio algum. Portanto, oito segundos de sofrimento em cada apresentação de rodeio é tempo demais. Não concorda?

Experimente passar uma cinta em torno da virilha e puxar ao ponto de sentir tanta dor que o único alívio é pular desesperadamente. Imagine também a dor que se sente ao receber choques elétricos, golpes, marretadas na cabeça e ter introduzido em todo seu corpo, instrumentos que causam dor e raiva.

Tudo isso é no mínimo brutal por parte de quem executa essas ações, e sádico por quem assiste e aplaude esse quadro atual da política do Pão e Circo da Roma Antiga.

Ao invés dos circos romanos, dos gladiadores lutando e se matando no Coliseu, temos nossas arenas de rodeios com bois sofrendo dor, raiva e humilhação.

Alguns brasileiros apreciam este “esporte”, assim como os romanos iam em peso, com suas melhores roupas, assistir as lutas nos seus estádios.

Alguns interessados nos altos lucros deste evento macabro, importado dos Estados Unidos, chegam a afirmar que agulhadas elétricas, madeiras afiadas, ungüentos cáusticos e outras formas de torturas usadas para enfurecer e irritar os animais dos rodeios são necessárias para um “BOM SHOW”.

Parece incrível, mas existem  leis que regulamentam os rodeios. Além de avalizarem o show de horrores, são ignoradas no que diz respeito às regras que não permitem os maus tratos aos animais. Rodeio não tem nada de bom, não tem graça nenhuma, só demonstra o quão somos atrasados, irracionais, sádicos e imorais perante o sofrimento do outro, diferente de nós.

Se a idéia é divertir o povo irracional, neste caso o homem, com o sofrimento de diferentes classes, é estranho que ainda não tenham importado, da Ásia antiga,  o vale-tudo com crianças ou adolescentes, onde as crianças lutavam entre si, trocando golpes , até terem seus ossos quebrados. Na pancadaria, mostravam o quão valente era a sua "cultura". São crianças, sim. É violência, sim. É exploração brutal de pequenos jovens, sim.



E daí?

É verdade também que poderiam estar livres e brincando como qualquer outra criança ou adolescente de sua idade. Mas e daí? O que vale é a “cultura” sendo exaltada para um público apreciador. Já se imagina a resposta-padrão para protestos vindos de raivosos defensores de direitos humanos contra os patrocinadores desses vale-tudos: onde fica o Estatuto da Criança e do Adolescente? E os direitos destas crianças? Mas perante tudo isso, do que valem estas Leis? Há incisos na Constituição proibindo a crueldade contra menores.

E daí?

O que importa é que uma cultura guerreira e a alegria e entretenimento das pessoas estão sendo valorizados.

Quando o assunto é dor, humilhação e impunidade, somos TODOS iguais: crianças adultos e animais. E acreditem, o animal, por não falar, por não ser uma sociedade constituída, é a grande vítima da nossa sociedade, que o explora como alimento, vestuário e divertimento. Sua única manifestação diante de tanta dor e humilhação, são seus pulos e a tristeza em seus olhos. Expressões sutis para a ignorância daqueles que prestigiam a "festa".

E daí que haja tanta maldade? Tanto sangue? Tanto tolhimento de dignidade e liberdade? Tanta exploração escandalosa? Tanta ausência de compaixão e  respeito? E daí que sejam eventos imorais e brutais?

O que importa é a “diversão”, a “alegria” de quem assiste e a “cultura” arcaica e totalmente apatriota. Isso tudo é o rodeio que se concretiza a cada ano nesse País onde pessoas jogam seus filhos pela janela.
Além de crueldade, é exploração animal. Só a criminalização dos rodeios vai acabar com a exploração desses animais, em vida, que tem os mesmos direitos naturais de bem-estar e proteção contra maldades que os humanos tem. Por que com eles é diferente? No fundo, isso é nada mais do que prepotência.


Depois de tudo, pense se realmente você vai compactuar com este palco de torturas. Fica também um pensamento de Mark Twain que tem muita relação com os espetáculos dantescos onde a dor e o desespero dos animais andam de braços dados para o deleite de alguns: “De todas as espécies, o homem é o único ser que inflige dor por esporte, sabendo que está causando dor”.


Por: Grupo Vira-lata


Acesse o site:

Participe do abaixo-assinado

4 Deixe aqui sua opinião!:

Anônimo disse...

Ótimo texto!

Abçs
Adriano

Anônimo disse...

Meu vc é um otario d escrever isso !! eu so veterinario e so responsavel por varias exposiçoes em minas gerais!! naum existe esse negocio d maus tratos eles ( os touros) sao mais bem tratados do que vc eu garanto, procure c informar melhor, e ficar bem a par do assunto pra começar a defamar , o mundo do rodeio!

c i n t i a disse...

Muito triste saber que um veterinário seja responsável por animais que entram em uma arena onde são machucados para dar alegria a um bando de acéfalos... Mas cada um PENSA COMO PODE.

Abçs.

Anônimo disse...

Veterinário? Deve ser um xucro tosco e maldoso... Quero que você morra sofrendo como um touro sofre no rodeio. Quer emoção? Amarre seus testículos, seu babaca.